Dicas para envelhecer com a saúde mental em dia - Poupafarma

Dicas para envelhecer com a saúde mental em dia

Cuidados com a saúde do seu bebê no verão
18 de janeiro de 2022
Exibir tudo

Dicas para envelhecer com a saúde mental em dia

O antigo ditado diz: “o que os olhos não veem, o coração não sente”. Talvez essa seja a razão que leva a maioria das pessoas a encarar de forma tão diferente uma dor de cabeça ou uma perna quebrada dos problemas relacionados à saúde mental. Principalmente quando se trata dos idosos.

Mas para o coração sentir, às vezes, é necessário olharmos com mais atenção para entender quando alguém precisa de cuidados com a mente. Choro constante, tristeza, irritabilidade, falta de motivação, poucos cuidados com higiene pessoal e dificuldade para se levantar da cama, podem ser sinais de que a pessoa está com algum transtorno mental, podendo ser: ansiedade, estresse ou até mesmo depressão.

Depois de mais de dois anos de pandemia, o olhar precisa ser ainda mais atento com os idosos. Afinal, muitos passaram longos períodos sozinhos ou até mesmo perderam alguém próximo. E, além de identificar os sintomas, é fundamental prevenir. De acordo com o IBGE, a expectativa média de vida do brasileiro chegou a 76,8 anos em 2020 e a tendência é aumentar. Em outras palavras, um dia vamos chegar lá. Por isso, separamos dicas para manter a mente saudável para que todos nós possamos viver bastante, com mais bem-estar e qualidade de vida.

Exercícios físicos e alimentação

Quando falamos de mente e corpo, parece que são duas coisas totalmente separadas e independentes. Mas não é bem assim. Tudo está interligado e o cuidado com o corpo também influencia na saúde mental. Exercícios físicos como musculação, pilates e funcionais, ajudam a manter a resistência, a força muscular e dão mais autonomia e mobilidade para os mais velhos, o que colabora muito para a autoestima. Melhor ainda quando os exercícios físicos são combinados com uma alimentação equilibrada, com frutas, verduras, legumes e hidratação adequada. Além de prevenir e/ou controlar doenças como hipertensão, diabetes e osteoporose, uma dieta rica em nutrientes aumenta a imunidade e preserva os músculos, o que também ajuda no bem-estar emocional.

Dormir bem

Garantir horas suficientes para reparar o cansaço e ter um sono de boa qualidade não só ajuda na disposição física e emocional como também é essencial para a melhoria da memória. Dormir bem à noite ajuda a fixar os aprendizados que tivemos ao longo do dia.

Hobbies

A definição de hobby é: “atividade exercida exclusivamente como forma de lazer e distração”. Ou seja, pode ser um esporte, um jogo, artes como pintura, crochê, bordado, jardinagem. Enfim, qualquer coisa que coloca a mente em ação e possa servir como um meio de socialização. Para os idosos, interagir com outras pessoas é fundamental para se sentir feliz e manter o cérebro ativo.

Animais de estimação

Não subestime o poder que os pets exercem sobre nós. Além de uma excelente companhia para todos os dias, ter um animal de estimação reduz a ansiedade, o estresse e ajuda a liberar endorfina e serotonina, conhecidos como os hormônios da felicidade. Cuidar de um bichinho faz com que a gente se sinta útil e não há idade máxima para alguém ter um pet. Só é importante levar em conta a autonomia do idoso e ter certeza de que ele não vai precisar de um apoio para cuidar do mascote. 

Atenção com o uso do celular

Um estudo realizado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) identificou que os idosos também podem sofrer com os efeitos da infodemia. A palavra tornou- se mais conhecida durante os tempos da Covid-19 e está relacionada com o grande fluxo de informações nas redes sociais. Ou seja, muitos idosos passaram muito tempo com os olhos na tela e, de acordo com a pesquisa, 26,1% daqueles que foram analisados apresentaram algum sintoma depressivo. Por isso, trocar o celular por um livro, ajuda na concentração e traz informações de maneira menos caótica e acelerada, além de contribuir para prevenir transtornos mentais.