Osteoporose - Saiba mais sobre essa doença e previna-se.

Saiba Mais sobre a Osteoporose

Rotina para uma Alimentação Saudável
Rotina para uma Alimentação Saudável
16 de outubro de 2017
adocante
Conheça os Tipos de Adoçantes
23 de outubro de 2017
Exibir tudo

Saiba Mais sobre a Osteoporose

Saiba Mais sobre a Osteoporose mais sobre a osteoporose

A osteoporose é a principal doença óssea metabólica e está fortemente relacionada com o avanço da idade, afetando mais mulheres do que homens. É uma patologia pouco sintomática e os pacientes costumam ser diagnosticados em estágios avançados da doença, geralmente, após a ocorrência de alguma fratura. Ainda não existe uma cura definitiva para a osteoporose, mas os tratamentos existentes são eficientes no retardamento de sua progressão e no controle das dores.

Quem pode ter?

Estima-se que a proporção da osteoporose para homens e mulheres seja de seis mulheres para um homem a partir dos 50 anos e duas para um acima de 60 anos. Aproximadamente uma em cada três mulheres vai apresentar uma fratura óssea durante a vida.

Como ocorre a Osteoporose?

Como qualquer outro tecido do nosso corpo, o osso é uma estrutura viva que precisa se manter saudável, e isso acontece mediante a remodelação do osso velho em osso novo. A osteoporose ocorre quando o corpo deixa de formar material ósseo novo suficiente, ou quando muito material dos ossos antigos é reabsorvido pelo corpo – em alguns casos, pode ocorrer as duas coisas. Se os ossos não estão se renovando como deveriam, ficam cada vez mais fracos e finos, sujeitos a fraturas.

O que causa Osteoporose?

A principal causa da osteoporose é a perda de massa óssea. Ela pode ocorrer por:

  • Degeneração natural: resultado da idade avançada;
  • Mau funcionamento do organismo: ele pode não estar realizando um processo correto de reabsorção óssea;
  • Deficiência de cálcio: o cálcio é um mineral essencial para a formação do osso. Pessoas que não ingerem a quantidade diária recomendada de cálcio têm maiores chances de desenvolver a osteoporose, pois o corpo não está recebendo a matéria necessária para o seu bom funcionamento;
  • Falta de vitamina D: essa vitamina auxilia na absorção de cálcio pelo organismo e, quando consumida em pouca quantidade, prejudica na formação do osso. A principal fonte de vitamina D é o sol e, por isso, é recomendado que qualquer pessoa se exponha diariamente por, no mínimo, 15 minutos à luz solar (antes das 10h da manhã ou após as 16h da tarde);
  • Menopausa: Após a menopausa, as mulheres têm uma drástica diminuição dos níveis de estrogênio no organismo. Esse hormônio, dentre outra funções, é responsável por retardar a reabsorção óssea e fixar o cálcio no osso, e, quando as mulheres interrompem o ciclo menstrual, o sistema esquelético fica mais vulnerável. Além disso, as mulheres possuem ossos mais finos e fracos do que os homens;
  • Histórico familiar: A osteoporose não é uma doença hereditária, entretanto um dos fatores genéticos que determina a boa absorção de vitamina D pelo organismo é transmitido de pai para filho e pode determinar o desenvolvimento da doença, pois o corpo terá maior dificuldade para utilizar o cálcio consumido. Por essa razão, é importante ficar atento quanto aos casos de osteoporose na família.
  • Sedentarismo: Pessoas que não tem bons hábitos alimentares e não praticam atividades físicas com frequência possuem um sistema musculoesquelético mais debilitado, pois seu processo de formação foi prejudicado;
  • Má alimentação: O baixo consumo de vitaminas e minerais, principalmente o cálcio e vitamina D, é fator determinante para a osteoporose;
  • Tabagismo e alcoolismo: essas substâncias prejudicam o estoque de cálcio no corpo humano e no funcionamento das células construtoras dos ossos.

Outras condições podem levar ao surgimento da osteoporose, sendo responsável por 20% dos casos totais da doença, sendo entretanto muito comuns em pessoas mais jovens e sem outros fatores de risco:

  • Síndrome de Cushing
  • Hiperparatireoidismo primário ou terciário
  • Hipertireoidismo
  • Acromegalia
  • Mieloma múltiplo
  • Doenças renais
  • Doenças inflamatórias intestinais
  • Doença celíaca
  • Pós-gastrectomia
  • Homocistinuria
  • Hemocromatose
  • Doenças reumáticas
  • Uso de medicamentos a base de glicocorticóides, hormônios tireoidianos, heparina, warfarina, antiepilépticos (fenobarbital, fenitoína, carbamazepina), lítio, metotrexato e ciclosporina.

Prevenção da Osteoporose

Pessoas dos grupos de risco de osteoporose devem fazer o acompanhamento com médico especializado para a análise e controle da densidade do osso, para verificar a perda de massa óssea. Isso é feito com base em um exame de densitometria óssea, onde é utilizado um tipo de raio-x especial para detectar a degeneração no osso ao longo do tempo.

Esse exame é indicado anualmente para mulheres após os 65 anos e homens acima dos 70.

Ainda não existe uma cura definitiva para essa doença, entretanto é importante começar o tratamento ainda nos primeiros indícios da osteoporose, para evitar e retardar o desenvolvimento de deformações. Os medicamentos utilizados estimulam a formação de massa óssea e ajudam no processo de reabsorção.

Tratamento

Algumas das medidas que ajudam no tratamento e na prevenção da osteoporose são:

  • Alimentação saudável;
  • Tomar sol;
  • Evitar cigarro e álcool;
  • Praticar exercícios físicos (as caminhadas são muito indicadas para o tratamento, pois ajudam na consolidação óssea);
  • Monitorar o peso;
  • Consumir a quantidade diária necessária de cálcio (leite e derivados, vegetais, peixes, frutas secas, etc.) e vitamina D (ovos, salmão, tomar sol).

Além disso, deve ser feita adaptação das casas (principalmente na casa dos idosos, para evitar a ocorrência de quedas e fraturas, que causarão grandes problemas ao corpo dos indivíduos, pois a recuperação será mais longa e difícil).

Fonte: Minha Vida / Endocrino.org.br

Saiba Mais sobre a Osteoporose